Conceito Transmídia

A semente que originou o filme DESAPARECIDOS nasceu no festival de Cannes de 2010, quando o diretor, David Schurmann, participando de uma mesa de produtores, ouviu falar no conceito “transmídia”, e como ele poderia ser aplicado no cinema.

De volta ao Brasil, na época da Copa do Mundo de 2010, David se deparou com uma brincadeira no Twitter que lhe fez questionar o quanto as pessoas tomam a internet como fonte segura de informação. O famoso episódio do movimento “Cala Boca, Galvão” (brincadeira com o locutor esportivo Galvão Bueno) convenceu uma legião de estrangeiros que a frase era parte de uma campanha em prol da proteção de um pássaro em extinção. Não houve preocupação em se pesquisar o verdadeiro significado da frase.

Disso veio uma constatação: a geração Y não se questiona! O que está na internet é real: basta checar em duas ou três fontes e é validado.

Com esse conceito artístico vanguardista em mente e com anseio de trazer este argumento à tona para provocar um debate sobre o que devemos acreditar na Internet e ainda olhando para o panorama do cinema brasileiro atual, que em sua opinião carece de filmes que se comuniquem diretamente com o público jovem David provocou: “Vamos fazer uma intervenção artística argumentativa, produzindo um filme que instigue os espectadores a se perguntarem se o que eles estão vivenciando realmente é verdade. Um filme que se inicie fora das telas do cinema, nas ruas digitais da Internet. Um filme que questione a credibilidade das informações em uma geração carente de investigação e fontes seguras”.

E assim teve início uma extensa ação transmídia embasada em meios virtuais que culminou no lançamento do filme DESAPARECIDOS.

Um ano antes do longa chegar às telas de cinema, perfis dos personagens do filme foram criados no facebook juntamente com outros perfis fictícios que tinham como meta socializar virtualmente com os personagens e posteriormente auxiliar na divulgação de informações pertinentes aos acontecimentos que rodeavam a situação abordada pelo filme.

Nessa onda virtual, veio também o "Lenhador Cara de Pau", personagem que além de ter perfil no facebook contava com um canal no youtube para veicular vídeos com questionamentos severos a respeito da sociedade. O Lenhador teve como papel fundamental difundir vídeos virais que continham cenas dos desaparecidos do filme.

O ponto de partida do projeto transmídia se deu pela divulgação de uma festa super VIP que aconteceria em Ilhabela. O evento foi divulgado no facebook e atingiu mais de 6 mil pessoas. Como a festa era fictícia, os convidados selecionados foram somente as pessoas mais VIPs, incluindo os personagens do filme e seus amigos.

No mundo paralelo criado para o projeto, a festa aconteceu e deixou histórias para contar: o desaparecimento de 6 jovens que não retornaram para casa depois da balada.

O fato foi intensamente disseminado pela internet: corrente de e-mail comunicando o desaparecimento, perfis virtuais dos amigos dos personagens divulgando a notícia, vídeos virais com imagens dos desaparecidos na mata, etc.

Assim surgiu o argumento transmídia que culminou no DESAPARECIDOS, um filme de suspense/terror para um público de 14 a 20 anos, que começa fora da sala de cinema e que tem todo o seu mundo paralelo construído nas redes sociais. Além disso, é o primeiro filme nacional desse gênero no formato “mockumentary”, estilo documentário-ficção, no qual o espectador acredita que as imagens são reais. A proposta é percorrer a linha entre a ficção e a realidade.

Após, estrategicamente, manter o segredo durante 1 ano para a realização da ação transmídia, a notícia deste filme vem finalmente à tona, revelando que esta trama online, no ar há doze meses, se trata de um filme e de um argumento que coloca em pauta o que é a realidade.

Facebook
Youtube

Disponivel na Apple Store

Schurmann Film Company © 2011. Todos os direitos reservados

Twitter
No Frame

clique aqui